A portuguesa e outras novelas

Por pontos: 1) a qualidade da escrita de Musil é inquestionável; 2) a leitura de O homem sem qualidades condicionará sempre qualquer análise a outra obra que se lhe leia.
A portuguesa e outras novelas divide-se em duas partes, Uniões (1911) e Três Mulheres (1924), mas em ambas se abordam as dúvidas de complexas personagens femininas. O amor, a fidelidade, o acreditar e os seus opostos são explorados de forma constante e repetitiva – às perguntas respondidas seguem-se novas perguntas. Esta vontade de explicar a existência humana e as relações entre homens e mulheres acaba por tornar a leitura enfadonha e dar a sensação de termos folheado páginas em sentido contrário.
Sem perder de vista os pontos inicialmente mencionados, diria que no conjunto das cinco novelas que compõem este livro, só uma entusiasma e agarra o leitor de forma ininterrupta – A consumação do amor.

Anúncios
Com as etiquetas ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: