Monthly Archives: Junho 2010

Do mundial de futebol

O Pedro Ribeiro escreveu umas linhas acerca da participação lusa no mundial de futebol. Concordo com grande parte do que escreveu, mas acho que se alongou. O essencial está aqui:

Portugal sai naturalmente da prova, mas fica aquela ideia de que podia ter feito algo mais. Marcámos golos à Coreia do Norte e a mais ninguém, só ganhámos a esta equipa, a que pior ranking tinha. Os equipamentos eram bonitos.

Anúncios
Com as etiquetas ,

Horse Feathers – Starving Robins

[A sonoridade habitual dos Horse Feathers e a qualidade habitual das produções La Blogothèque.]
Com as etiquetas , ,

Novela gráfica

Com as etiquetas ,

Hezekiah Jones – Stop Whispering (Radiohead)

Hezekiah Jones recuou a Pablo Honey para arrancar duas versões dos Radiohead. Stop Whispering e Thinking About You foram os temas escolhidos. Preferi deixar por aqui o primeiro.

[Via Slowcoustic – onde podem encontrar a segunda versão.]
Com as etiquetas , , ,

Resultado da passagem pela Feira do Livro do Porto

Com as etiquetas

Alentejo #5

[Mais que aconselhável, é obrigatória uma visita ao fumeiro da Dona Octávia. Depois de uma breve degustação, será difícil regressar de mãos a abanar.]
Com as etiquetas

José Saramago

As intermitências da morte permitem a nossa breve passagem pelo mundo. Saramago pertence à pequena minoria que se eternizou pela obra.

[Dia triste para a literatura.]
Com as etiquetas

Alentejo #4

Big Bird in a Small Cage – Patrick Watson
Com as etiquetas ,

Alentejo #3

Com as etiquetas ,

Alentejo #2

[Cavalos do Sorraia.]
Com as etiquetas ,

Alentejo #1

Com as etiquetas ,

Para lá do tejo

Nem sempre Junho e Alentejo resultam em sol, como os últimos dias provaram. Ficou a ganhar a fotografia, com o tempo que sobrou e as nuvens que carregaram o céu.

[O banner já mostra qualquer coisa, mas devem seguir-se mais alguns registos fotográficos.]
Com as etiquetas

A culinária na literatura II

Erica estava na cozinha, a fazer mousse de frango com gelatina para o jantar. Três chávenas de caldo natural de galinha ou três cubos de caldo de galinha dissolvidos em três chávenas de água a ferver. Duas embalagens de gelatina de limão. Uma colher de chá de sal. Um oitavo de colher de chá de pimenta-de-caiena. Três colheres de sopa de vinagre. Uma chávena e mais um terço de sucedâneo de natas batidas. Dois terços de uma chávena de maionese. Duas chávenas de frango cozido, cortado em pedacinhos pequenos. Duas chávenas de aipo, cortado bem fino. Duas colheres de sopa de pimento picado.
Depois coze-se e verte-se e mexe-se e mistura-se bem. Verte-se a gelatina devidamente temperada, já fria, sobre a pasta de frango. Com uma colher, despeja-se numa forma de pão com 25×12 cm. Põe-se no frigorífico até ficar bem firme. Desenforma-se. Enfeita-se com alface estaladiça e azeitonas recheadas (caso assim se deseje). Serve-se como entrada para seis pessoas.

Submundo, Don DeLillo

[Recordo que já aqui tinha ficado uma receita encontrada em 2666, de Bolaño.]

Com as etiquetas ,

Café Central #7

Tanto se passam meses sem uma actualização, como se chega a uma semana com duas. Em Campo de Besteiros encontrou-se o sétimo Café Central.

Com as etiquetas

Café Central #6

Há mais um Café Central no levantamento que tem vindo a ser feito. É o sexto e fica em Aveleda.

[Agradecimento ao amigo António Braga, pela atenção que teve em enviar este registo.]
Com as etiquetas

Jakob Dylan – Holy Rollers For Love

Quando um amigo, homem da rádio e conhecedor do que se ouve por aqui, me questionou acerca do mais recente trabalho de Jakob Dylan, a verdade é que apenas lhe tinha ouvido um tema – por um feliz engano de Álvaro Costa, que trocou as voltas à ordem da sua playlist. Depois dos elogios de ambos, ficou difícil deixar o disco passar ao lado. Women+Country não desilude. Filho do Dylan mais famoso da música, Jakob carrega às costas um nome de responsabilidade, mas não parece importado com as possíveis comparações. Possíveis e naturais, aliás: o timbre vocal não anda longe do de Bob, o género musical e os temas cantados têm muitos pontos em comum e na sonoridade também se encontram algumas semelhanças. Provavelmente, nunca atingirá a notoriedade do pai, mas isso pouco interessa quando se conseguem álbuns como este. Holy Rollers For Love é um aperitivo para o que se pode encontrar em Women+Country.

Com as etiquetas , ,
%d bloggers like this: