Do verdadeiro pão

Como fizeste nessa noite quente de Primavera, no meu apartamento de Yellow Springs, de cueca alta e sutiã, com farinha nas orelhas e a risca do cabelo molhada de suor – lembras-te? para me mostrares, apesar da temperatura, a que é que sabe o pão verdadeiro? E eu tinha o coração tão derretido que o podias ter amassado também!

Philip Roth, O Complexo de Portnoy
Anúncios
Com as etiquetas ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: