As três vidas

Há muito que estava guardada a intenção de conhecer a escrita de João Tordo. Ter sido lançado por Maria do Rosário Pedreira, editora que também alavancou valter hugo mãe, ter sucedido a este na lista de vencedores do prémio literário José Saramago e ter sido repetidas vezes aconselhado por um amigo foram factores que pesaram na decisão de não adiar mais esta intenção. Apesar de o seu último romance, O bom inverno, me despertar bastante interesse, foi com As três vidas que me lancei na obra deste jovem autor português – aproveito para voltar a referir o Winkingbooks, responsável pela muito económica chegada deste livro às minhas mãos.
Da memória do protagonista desta história vão saltando os episódios que viveu desde que, após a morte do seu pai, se viu obrigado a procurar emprego para sustentar a família. Um pouco revelador anúncio de jornal levou-o a um intrigante emprego na Quinta do Tempo, em terras alentejanas, e é sempre num clima de mistério que as recordações se vão desenrolando. Milhouse Pascal, homem vivido e sabido, de muitas posses, é o seu patrão. É à sua vida, também, que estas memórias pretendem fazer justiça – ao seu passado enquanto espião, à actividade que depois desenvolveu e até mesmo às suas relações familiares. É também na Quinta do Tempo que o protagonista e narrador desta história conhece Camila, neta de Milhouse Pascal e responsável, ao mesmo tempo, pelas suas melhores e pelas suas mais atribuladas vivências. É com esta jovem sonhadora que conhece o mundo do funambulismo e chega à conclusão de que a vida é, também ela, uma travessia feita em equilíbrio sobre um abismo sem fundo. Cabe-nos a habilidade para tal.
Por se tratar de um livro pautado pelo mistério – o último capítulo tem mesmo o título Todos os mistérios -, torna-se difícil revelar mais qualquer coisa sem revelar o essencial. Resumindo, para não estragar a trama a um eventual futuro leitor, As três vidas merece toda a atenção de quem procura boa literatura nacional. Leitura mais que recomendável.

Anúncios
Com as etiquetas ,

One thought on “As três vidas

  1. Menphis diz:

    Eu sabia que irias gostar. 😛 Tem, para mim, dos mais originais e dos melhores finais que já li. Para segunda leitura, aconselho-te ” Hotel Memória”.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: