Quarto Chambre Zimmer Room

Começo o dia com uma excelente manhã de praia, dou-lhe seguimento com uma tranquila tarde de piscina e, para provar que não são necessários mais de três actos para borrar uma pintura, arranco em direcção à confusão e ao trânsito compacto ao início da noite. Passo directamente a essa última fase, que é a que motiva estas linhas. Encontro-me então entre matrículas dos mais variados países
Espanha, Luxemburgo, França, Alemanha, Itália e Suiça
e sobra-me tempo para ir lendo os anúncios que prometem negócios da China
Procura-se parceiro para projecto de restaurante/bar,
os mais discretos
Quarto Chambre Zimmer Room
e os destaques da vida nocturna.
Todos parecem dirigir-se ao mesmo local. Lá chegado, a suspeita ganha peso. Todos se dirigiram para o mesmo local.
De repente, vejo-me caído num espaço cheio de gente que, ao invés de caminhar, desfila. Gente que, ao invés de estar sentada, está exposta. À mesa de um desses restaurantes frequentados por futebolistas nas férias, um homem orgulhoso faz peito da mulher que, sem precisar de o imitar, exibe a quase totalidade do seu. Não menos orgulhosos, passam por entre quem desfila a pé, com cuidados intermináveis, condutores ao volante dos últimos e mais potentes modelos automóveis. Os mais sonhadores debruçam-se para espreitar os iates e acabam por se transportar para uma qualquer tranquila ilha dos trópicos, alheados do ambiente em redor. Entretanto, passa um outro homem
(também orgulhoso)
a passear uma mulher que, pesem todos os esforços com a aparência, não disfarça a idade que tem. Inglória luta contra a passagem do tempo. Não há calção justo que a trave. Não há salto alto que a supere. Está na cara que a mulher pode ter netos. Do outro lado da barricada não há menos candidatas. O mundo anda ao contrário e, se há mulheres a fazerem de tudo para parecerem meninas, também há meninas a quererem passar por mulheres. Pintam a idade nos olhos e teatralizam a idade nos gestos. São meninas da idade daquelas que, no meu tempo, faziam risinhos tímidos
(e mandavam bilhetes, repare-se só na idade deste que aqui escreve).
No meio deste cenário, guardo um apreço especial por dois homens que, separados por poucos metros, pintam turistas. Um deles dedica-se ao retrato, o outro à caricatura. São homens que tiveram a arte de se dedicar a uma coisa menor
(quantos são os artistas que podem ganhar a vida a fazer o que realmente gostam?)
para conseguirem garantir a sobrevivência. O que falta a cada uma das suas telas em genialidade, sobra-lhes em humildade e em espírito de sacrifício. Em cada traço há um sonho adiado e um dever a cumprir. Não assinam
Picasso, Rembrandt ou Dalí,
mas assinam
Pai trabalhador e esforçado, marido responsável,
coisa com que os primeiros não precisaram de se preocupar.
Passam mais mulheres
(ou as tais meninas)
em vestidos tão curtos que parecem prestes a cair deles, passam mais homens orgulhosos, passam crianças despreocupadas e continuam debruçados para os iates os mais sonhadores. Todos se dirigiram para o mesmo local e, no entanto, dava tudo para estar no quarto
(ou no chambre, ou no zimmer, ou no room, é-me indiferente).

Anúncios
Com as etiquetas

3 thoughts on “Quarto Chambre Zimmer Room

  1. FA-BU-LO-SO..parabéns, um belo retrato de, imagino, Vilamoura mas que poderia ser de uma outra cidade perto de si. abraço.

    Gostar

  2. LOL assinei como Ricardo 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: