Hoje queria dar-te…

…um coulant de avelã, um passeio junto ao mar, um jogo de futebol, o calor abrasador de Badajoz, uma conversa com o Cesar Millan, as canoas de Avis, a oportunidade de vermos O fabuloso destino de Amélie Poulain pela primeira vez, concertos de Antony and The Johnsons, uma noite de golos celebrados aos saltos no Dragão, uma noite de jantar e cinema e pipocas, um chá quente numa noite fresca de Verão, um jogo de voleibol de praia, um almoço diferente no trabalho, o sorriso de todos os teus alunos e ex-alunos de karaté, tempo para tocares guitarra, a oportunidade de termos um filho pela primeira vez, igualzinho ao que temos, uma noite inteira a olhá-lo para ver se está bem, um segundo filho, uma viagem de sonho a um lugar de azuis impossíveis de esquecer, uma viagem a um lugar de sorrisos impossíveis de esquecer, um Vitara azul cheio de passado, concertos de Andrew Bird, um passeio pelas ruas desertas de Figueira e Barros, uma varanda, muitas kimmidoll, uma conversa com a Mafalda Veiga, uma viagem ao Japão, a vista desimpedida da Praia dos Salgados, um concerto de Ray LaMontagne, leitão para o jantar, um terraço, mais tempo para estarmos com o nosso filho, uma surpresa doce, um dia de casamento sem lágrimas, um jantar no DOC, um concerto da Dave Matthews Band, um infantário para gerires e fazeres uso da tua sensibilidade para as crianças, um mergulho com os golfinhos, uma peça de teatro interminável, uma casa pequena com um jardim grande, um concerto de Jeff Buckley, uma partida de mahjong, tempo para explorares a Bimby como gostas, um passeio à Régua, um passeio a cavalo, um parque infantil igualzinho ao do Alvor, um ramo de girassóis, um concerto de Bon Iver, os anos que não te dei, um pequeno-almoço na cama, um marido que não se esquecesse de ser carinhoso e, se possível, que esse marido fosse eu, um sem fim de camisolas com carapuço, um dia de casamento com os mesmos amigos compreensíveis e divertidos, um concerto de Elliott Smith, um dojo com as melhores condições para ensinares karaté, girassóis para o jardim grande da casa pequena que te queria dar, concertos de Kings of Convenience, a oportunidade de leres A insustentável leveza do ser pela primeira vez, tempo para vermos séries, um jantar no Castas & Pratos, uma noite quente na esplanada do Páteo Real, um concerto de Damien Rice, todos os anos que me restam, os petiscos do Montinho, um serão de Fawlty Towers, telegramas de chocolate, um concerto de Ben Harper, um post-it a dizer que te amo.
Há coisas que não basta querer. Dar-te tempo e passado. Há coisas para as quais um dia não chega. Dar-te nesse curto período o melhor de sete anos e o que nesses sete anos não foi possível. Há coisas para as quais não tenho dinheiro. Faço figas para que as palavras ainda valham alguma coisa.

Anúncios
Com as etiquetas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: