Monthly Archives: Janeiro 2018

🙂

🙂

Anúncios
Com as etiquetas

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas ,

O século XX livrou-nos de Deus e pôs-nos a mãe no lugar dele.

Laurent Binet, A sétima função da linguagem

Hierarquias divinas

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

A ideia, esta semana, é tentar trazer sempre estas nuvens na cabeça e agir com a calma que elas me transmitem. Uma semana com a cabeça nas nuvens, a ver se o coração fica no lugar.

Com as etiquetas ,

Prefácio breve e não autorizado

Belmiro Poente nasceu em 1974. O autor destas páginas também. A história de Belmiro Poente é contada aos avanços e recuos, de memórias em memórias. A do autor deste monólogo é escrita a direito, sobre as linhas de um qualquer caderno pautado. Belmiro Poente nasceu para estar entre as mulheres e para afastar a bola em direcção à baliza. O criador de Belmiro Poente nasceu para escrever histórias muito verdadeiras com personagens um tanto fictícias. Em 2042, Belmiro Poente encontra-se no Hospital do Esquecimento, a braços com um diagnóstico de demência. Em 2042, o autor deste livro tem que ter conseguido escapar ao esquecimento. A prosa que aqui se encontra tem muitos sonhos e pouco sono. Acorde também quem puder trazer este autor à luz do dia.

Com as etiquetas

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas ,

Onze anos e meio

Onze anos e meio

No final deste mês, a 31 de Janeiro, terminará uma relação contratual de onze anos e meio. A sentimental perdurará. Trago muitos ensinamentos, colegas que respeito e alguns amigos. Deixo um agradecimento a todos os que bem me acolheram e ajudaram. Muito obrigado.

Seguir-se-á um novo desafio e, com ele, novas aprendizagens. Vontade de aprender não falta. Queira a sorte, ajuda preciosa em tudo, dar um ar da sua graça.

Com as etiquetas

Bom dia. Boa semana.

Que coisa bonita de se fazer com as palavras, Tim. Cantar o complicado desta forma simples. Dá vontade de morar uns dias nesta canção, junto desses silenciosos alicerces que são as mulheres nela cantadas.

Com as etiquetas ,

Contei-lhe sobre o pai de uma amiga, que regressou da guerra e morreu poucos dias depois. Morreu de doença do coração. Eu não conseguia perceber como era possível morrer depois da guerra, quando toda a gente estava feliz.

Svetlana Alexievich, As últimas testemunhas

Da ironia da guerra

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana. Bom ano.

Com as etiquetas ,
Anúncios
%d bloggers like this: