Pássaros na boca

Pássaros na boca Já não me lembrava de ficar tão agarrado a um livro de contos como fiquei com este Pássaros na boca. O que têm de estranho e exuberante justifica-se plenamente: alguns destes contos são metáforas valiosas, outros trazem uma crítica mordaz a aspectos da sociedade actual e outros são retratos quotidianos atentos e reveladores. Já li este livro há uns dias, mas não creio que seja problema de memória se disser que não tenho ideia de um só conto sem rumo, ou despropositado. Pássaros na boca, conto que dá título ao livro, é um verdadeiro murro na barriga. A pesada mala de Benavides é uma maravilhosa sátira à arte contemporânea e ao intelectualismo. Samanta Schweblin não me deixou outra alternativa a não ser recomendar muito o seu livro.

Anúncios
Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas ,

Há desconto para bilhete duplo?

mw&pw
Theatro Circo e Casa da Música, 16 de Novembro e 5 de Dezembro.

Com as etiquetas , , ,

As melhores religiões escolhem um dia para não fazer nada e chamam-lhe dia sagrado. Não fazer, para os cansados, é mais importante do que fazer.

José Gardeazabal, Meio homem metade baleia

Do que é sagrado

Com as etiquetas ,

Há que ser realista é a frase preferida dos realistas.

Juan Pablo Villalobos, Festa no covil

Realmente

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas ,

Mesmo que faça frio
não aproximes do fogo
um coração de neve

José Tolentino Mendonça, A papoila e o monge

Haiku

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Ainda não é mais do que um esboço, mas já é qualquer coisa. Tomará forma a seu tempo.

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas , ,

Lembro-me, o meu avô tinha-me levado à beira de um rio, se tínhamos apanhado algum peixe, já não sei, mas lembro-me, tinha um avô, tive uma infância.

Gao Xingjian, Uma cana de pesca para o meu avô

Velha infância

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Em tempo de mundial de futebol, a metáfora obrigatória é bola para a frente. Se não for golo, fica lá mais perto.

Com as etiquetas ,

Para un padre, el calendario más veraz es su proprio hijo. En él, más que en espejos o almanaques, tomamos conciencia de nuestro transcurrir y registramos los síntomas de nuestro deterioro. El diente que le sale es el que perdemos; el centímetro que aumenta, el que nos empequeñecemos; las luces que adquiere, las que en nosotros se extinguen; lo que aprende, lo que olvidamos; y el año que suma, el que se nos sustrae. Su desarollo es la imagen simétrica e invertida de nuestro consumo, pues él se alimenta de nuestro tiempo y se construye con las amputaciones sucesivas de nuestro ser.

Julio Ramón Ribeyro, Prosas apátridas

Um filho enquanto calendário

Com as etiquetas ,

Viver de frente

Viver de frente

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Com as etiquetas ,

Dia de Portugal

Dia de Portugal

Já foi um país à procura do resto do mundo e agora é um país à procura de si próprio. Mas continua a ser o sítio certo para se viver. Saibamos fazer a nossa parte.

Com as etiquetas

Dia Mundial do Ambiente

O Dia Mundial do Ambiente, este ano especialmente voltado para o combate à poluição plástica, foi hoje. Para o celebrar, partilho um trabalho incrível de Mandy Barker, que utiliza plástico apanhado nas praias ou até mesmo em animais mortos.

Estranhamente bonito, o que se pode fazer com o que nos condena. O Dia Mundial do Ambiente foi hoje, mas tem que ser lembrado todos os dias.

Com as etiquetas ,

Bom dia. Boa semana.

Uma âncora ajuda sempre a não perdermos o lugar a que chegámos. Seja este o lugar em que queremos ficar ou o lugar de onde queremos partir em busca de outros lugares. Uma âncora é um estou aqui. Não é um de onde vim, não é um para onde vou, mas é um estou aqui. E que jeito dá, tantas vezes.

Com as etiquetas ,

Erro de conjugação

Se é EUtanásia, por que raio hão-de ser ELES a decidir?

Com as etiquetas

Bom dia. Boa semana.

Hoje quero deixar-vos a história de uma Carriço que durante a recém-terminada semana partilhou uma música que um outro Carriço tinha pensado partilhar hoje, segunda-feira, para desejar os habituais bom dia e boa semana. Podia ser uma história de coincidências, mas eu prefiro achar que é uma história de bom gosto.

Com as etiquetas ,

Philip Roth

Philip Roth

Pode dizer-se que já lhe li alguma coisa. Umas vezes assoberbado, como em Pastoral Americana, outras vezes menos entusiasmado, como num mais inicial O Complexo de Portnoy, mas sempre capaz de reconhecer nas suas palavras uma prosa intensa e de muita qualidade. Deixa-nos hoje. Sem Prémio Nobel, mas com a mais difícil promessa de se vir a tornar num clássico.

Com as etiquetas
Anúncios
%d bloggers like this: